domingo, 13 de julho de 2014

Copa do Mundo no Brasil - Impressões


Agora que esse período de Copa do Mundo esta oficialmente no fim, vim aqui passar a minha impressão sobre tudo que eu vi durante minhas poucas idas a São Paulo.

Adaptações do Metrô

Foi muito engraçado pegar o metrô e ouvir, além da mensagem usual, next station Ana Rosa e ao mesmo tempo pensar "Porque raios não traduziram a parte do lado do desembarque a os acessos que aquela estação dá?". É claro que eles terem colocado mensagens em inglês foi um avanço, mas foi realmente estranho ouvir só next station Sé sendo que existem mil acessos nessa estação!

Agora, eu achei muito bom eles terem feito um panfleto especial para a Copa! Eu acabei dando ele para um amigo e não tirei foto, mas era uma cartilha explicativa sobre os melhores meios de chegar aos estádios e meios de locomoção, tudo em português, inglês e espanhol. Porém eu não tenho certeza do alcance desses folhetos, já que você precisa ir até os funcionários e pedir(peguei quando fui pedir um mapa do metro, já que o meu tinha mais de 2 anos).

Por alguma razão os estrangeiros não parecem ter o costume de procurar funcionarios do metrô para tirar duvida, é algo até bem engraçado já que eu sou daquelas que no primeiro momento de duvida já pergunta.

Falando com estrangeiros

Como eu falei ai em cima, a maior parte dos estrangeiros (eu eu tenha visto) não vão até funcionários pedir ajuda, mas sim até pessoas comuns! Assim, aqui fica a minha experiencia:

Quando fui ver a exposição Obsessão Infinita estava com minhas amigas na estação Faria Lima, esperando a Naty chegar, e um homem chegou no nosso grupo falando espanhol, pedindo informação! Eu fiz 1 ano de espanhol e entendo quando falam comigo, mas não sei responder... então por um momento fiquei sem saber o que fazer hahahahaha

Depois eu perguntei se ele falava inglês(em inglês) e ele disse Yo no, pero mi amigos sí! e ele chagou dois amigos deles que começaram a falar em inglês comigo; eles eram mexicanos que moravam nos Estados Unidos e iam ver o jogo na Arena Corinthians. Os três tinham cerca de 25 anos e queriam uma forma de ligar para o seu país e contatar a família! Bem, eu e a Talissa acabamos saindo da estação e indo comprar um cartão de orelhão internacional, para que eles pudessem ligar.

Eles foram super educados e disseram que estavam adorando o Brasil, porque as pessoas realmente tentavam ajudar umas as outras mesmo sem entender a linguá; no fim acabaram tirando foto conosco e pegando nossos contatos na internet, para assim poderem nos adicionar no Facebook! Foi a primeira vez que paguei de tradutora com as minhas amigas, já que só eu e a Talissa entendiamos o que eles estavam falando.

O que eu achei de tudo isso

Nem preciso dizer que achei muito bom, não é? O Brasil não tem exatamente a melhor imagem lá fora, principalmente se falando das mulheres, mas acredito que esse período cheio de estrangeiros serviu para eles verem um pouco mais como nosso país realmente é! Temos coisas ruins como qualquer outro lugar no mundo, mas também temos muita coisa boa para mostrar!

Deu para ver que muitos turistas vão se lembrar claramente do carisma brasileiro, com toda essa vontade de faze-los se sentir em casa.



Vocês tiveram experiências novas ou engraçadas com estrangeiros também? Não é todo dua que temos Copa aqui hahahaha

Cláudia

sábado, 5 de julho de 2014

Magi - Lybirinth of Magic

Magi - Labyrinth of Magic

Acabo de ler todos os capítulos lançados desse mangá e apesar dele não ter nada a ver com Mori, achei que valeria a pena colocar aqui uma indicação!

Sinopse (Mangafox - Traduzido por mim)

Nas profundezes dos desertos se encontram misteriosos Masmorras, vastas riquezas ali se abrem para qualquer um sortudo o bastante para encontra-las e bravo o bastante para se aventurar nessas profundezas as quais poucos retornaram. O destemido jovem aventureira Aladdin deseja achar as Masmorras e suas riquezas, mas Aladdin parece ser tão misterioso quanto os tesouros que ele procura. Junto do gênio Ugo e seu amigo, Alibaba, Aladdin sai em busca da sorte nas profundezas das intermináveis dunas.

Resenha

A primeiro momento eu acreditava que esse seria um tipo mangá shonen cheio de lutas de amigos desbravando o mundo, conseguindo os tesouros das Masmorras e coisas do genero, por tanto mesmo com o lançamento do anime eu nem cogitei em ver; depois de um tempo dei o braço a torcer devido as várias indicações e não me arrependo de te-lo feito!

A primeira coisa que me chamou a atenção foi o espirito de justiça passado pelo mangá o tempo todo por Aladdin, sendo de certa forna inocente e totalmente intolerante com a escravidão que ele conheceu. Foi nessa base que saiu uma base para a história: o ideal de um mundo onde as pessoas tenha direitos iguais.

Nesse mundo existem países onde a escravidão é permitida e em outros não, mas é interessante perceber que em ambos os tipos de países existem pessoas extremamente pobres que vivem nas periferias, que vivem em extremo caso de pobreza e que morrem de fome todos os dias; ao mesmo tempo os escravos também não estão felizes com a sua situação, até porque dificilmente eles tinham a chance de se tornarem pessoas livres uma vez que viram escravos.

O objetivo principal da série se torna essa luta a qual os faz conhecer e libertar muitas pessoas em diferentes nações e os envolve em várias guerras, misturando o presente com as marcas do passado de cada um dos personagens; isso deu abertura para mostrar que todos eles tem um lado ruim e um lado bom, que todos passaram por momentos terríveis, dos quais nem todos saíram deles como "pessoas boas".

O mangá também mostra bastante a determinação humana em atingir seus objetivos, não importa os meios, através de personagens como Sinbad e o Kou Empire (Império Kou), que conduzem suas nações em direção a expansão e alianças "a fim de proteger a sua população". Sabe aquela coisa de que o ataque é a melhor defesa? Esse tipo de Guerra é retratada e interpretada através de personagens que parecem vilões mas na verdade não são maus... e com amigos que na verdade se mostram mais obscuros do que aqueles os quais estão lutando contra.

Minha personagem preferida no momento é  Morgiana, ela é uma garota tímida, mas forte e determinada! Ela realiza muitas coisas e suporta Alibaba o tempo todo lealmente. Achava que eu não fosse gostar dela, mas até estou cogitando coloca-la na lista de cosplays, já que a roupa é bem fácil!

Morgiana, Aladdin e Alibaba

Roupas

Um outro ponto forte da série é, com certeza, as vestimentas dos personagens! A autora, Otaka Shinobu, fez questão de passar muitas refencias de roupas reais sem perder o espírito fantasioso da história. A maior parte das roupas são baseadas em diversas etnias do Oriente Médio, podendo distinguir entre Egípcios, Árabes e muitos outros; além disso pode-se perceber referencias como as chinesas no Kou Empire e alguma coisa vinda da Africa na Morgiana (apesar dela ser branca... vai entender).

Alem disso as capas são todas super cheias de detalhes que deixa a ilustração bem rica! Sem contar as armas dos Djinns que vão aparecendo, tudo bem criativo e fantasioso dentro de um limite da realidade daquele mundo.

Bem, eu espero que leiam também! Ele esta disponível aqui em inglês.

Afinal, já tem 230 capítulos, no minimo vai demorar uns dias pra vocês chegarem até o fim hsauashuasuas

Cláudia

quarta-feira, 25 de junho de 2014

62 Regras da Mori Girl - 7, 8, 9 + 10!

7, 8, 9 regrinhas e tem a 10 de bônus~


Depois de séculos sem falar delas, estou voltando com o série de posts! Aeee!!!


7-  Você veste roupas em A-line

Acredito que isso se deva a falta de silhueta definida em Mori, já que o preferível é não marcar a cintura até mesmo como forma de conforto. Não é regra que só use toupas em A-line, mas é o mais comum mesmo. Por tanto, sem fotos nesse regra~

8- Você gosta de vestidos que garotinhas usariam

Esse é uma regra que eu acabo concordando totalmente, de verdade. Percebi isso uma vez quando estava no Shopping ABC e passei por uma loja de roupas infantis e fiquei babando em um poster: Uma menina na praia com um vestido rosa A-line de alças, com aquele recorte logo abaixo do busto com uma saia com pelo menos umas 4 camadas de tecido semi transparente. Minha reação: O vestido entrou pra minha wish-list de coisas para costurar hahahahahaha

Acho que essa regra se aplica para todas as mori girls que morrem de amores por histórias infantis simples que se passam no campo, e também aquelas que tem tendência a usar roupas do Natural Kei. Busquei vestidos de vários tipos que serviriam para uma Mori, tanto numa visão mais "clássica" do estilo quando mais urbana \o/


 

 

 

 



 





9- Você gosta de "batas" que pareçam vestidos ou blusas

Aqui é uma das regras que eu não concordo, porque eu não sou fã de batas. "Mas Cláudia, como você gosta de Mori e não de batas? Elas tem detalhes artesanais tão bonitos, tão mori!" Eu sei, eu sei. Mas eu não gosto deles, pelo menos não em mim.

A realidade é que eu não acho batas bonitas porque pouquissemas que eu vejo por ai são bonitas, então eu simplesmente não gosto mais delas. Fazendo uma busca para esse post me deparei com alguns modelos de batas/vestidos que eu nem mesmo diria que são batas e então percebi porque algumas moris amam elas; realmente, se escolhida com cuidado, a bata pode dar um ar mori incrivel no look.

Aqui tem fotos de batas que parecem vestidos e vestidos que lembram batas, tudo seguindo uma linha meio mori para inspira-los.



 
















Bônus: 10- Você não gosta de estilos super "doces"/"fofos"

Aqui eu achei algo meio chato. Por exemplo, eu gosto de lolita e esse é um estilo confiderado super fofo; é claro, eu não gosto de eu mesma usando roupas Sweet Lolita, mas sim Classic, porém eu amo ver as meninas naqueles OTT Sweet com até carrosséis no meio da peruca! Acho que é dificil dizer que uma mori não pode gostar de estilos super fofos porque existe uma diferença entre gostar de ver nos outros e gostar de usar...

Por tanto, aqui iria mostrar o Mori Girl coberto de referencias kawaii de outros estilos considerados super fofos, tal como Cult Party Kei, Dolly Kei e uma pitada de Gyaru... ah, bem, no geral tentei procurar roupas/acessórios desses estilos que uma Mori poderia usar hahahahahaha


  

   
 


E lá se foi mais um post! Agora faltam mais 52 regras hahahaha

Cláudia

sábado, 21 de junho de 2014

Exposição Obsessão Infinita


Essa exposição esta sendo feito no Instituto Tomie Ohtake desde o dia 22 de Maio e vai até o dia 27 de Julho, perto da Estação Faria Lima; ela funciona de terça a domingo, das 11 as 20h00 e é de graça! Por tanto, sem desculpar para não irem!

A exposição reúne trabalhos da artista plástica Yayoi Kusama realizadas entre 1950 e 2013, traçando um panorama da obra da artista através de pinturas, trabalhos sobre papeis, esculturas, performances, videos e instalações diversificadas.

Kusama em 1967
Nascida em Matsumoto, Japão, em 1929 começou a criar obras semi-abstratas em 1940, passando para a produção da série de pinturas Redes Infinitas que "se sobressaem pela repetição Obsessiva de pequenos  arcos aglomerados sem padrões rítmicos maiores.". Ao se mudar para Nova York, em 1957, criou outras séries polêmicas como Obsessão Sexual, com objetos de uso diário com elementos de pelúcia semelhantes a falos e a Obsessão por Comida com massa seca.

Nós na sala de espelho
Quando eu e as meninas da faculdade decidimos ir na exposição certamente não tínhamos nossão da alta conotação sexual do trabalho da Yayoi, onde algumas obras possuem mensagens diretas até demais! A sala que mais me... espantou foi a Flower Orgy, em que existia uma placa dizendo que o video não era recomendado para menores de idade, o que de fato se mostrou verdade. Apesar de ter arte no meio do video, o que é mostrado é uma verdadeira orgia, sem qualquer censura; havia uma parede explicando que esse tipo de arte era muito usado por ela, chamando várias pessoas para suas orgias "artísticas".

Artistas não costumam expressar seus próprios complexos psicológicos diretamente, mas eu adoto meus complexos e medos como temas. Fico aterrotizada só de pensar em algo longo e feio como um falo me penetre, e é por esse motivo que construo tantos falos ... Eu construo muitos e muitos deles e tão continuo construindo até que me enterro no processo. A isto dou o nome de 'obliteração'. Yayoi Kusama

Para quem não sabe, "falo" é uma forma de se referir ao órgão sexual masculino. Sim, é isso mesmo, a sala de espelhos basicamente representa um mar de falos XD

Me sentindo a Alice in Wonderland!
Mesmo com todas as mensagens em grande parte dos trabalhos dela, as salas interativas são incríveis, você realmente ama cada cantinho das salas pois elas são bem criativas e envolventes! Quem esta na faculdade, não esqueça de pegar seu panfleto com o carimbo para fazer relatório de horas extras *3*

Aliais, ai em baixo esta o vídeo que fiz dessa sala com bolas gigantes! Ela era bem divertida e rendeu muitas fotos.

E vocês? Já foram ver a exposição? Pretendem ir lá antes que vá embora? Aproveitem, pois eu não acho que ela vai algum dia voltar a aparecer por aqui!





Cláudia

P.S.: O vestido que estava usando era da Angel, caso queiram saber~

segunda-feira, 16 de junho de 2014

CHAMPS - Showcase

Imagem meramente ilustrativa ashausahususa

Nesse domingo o Champs teve seu primeiro contato com os fãs! Ele fizeram um showcase no Teatro Mars, "perto" do metrô Anhangabaú; os ingressos foram divididos assim:

  • VIP - 1 poster autografado, pendrive exclusivo com material promocional do grupo, sessão de fotos com os integrantes, entrada para o Showcase(festa), acesso ao camarote com o Champs;
  • A Class - 1 poster autografado, pendrive exclusivo com material promocional do grupo, sessão de fotos com os integrantes, entrada para o Showcase(festa);
  • Fanmeet - 1 poster autografado, sessão de fotos com os integrantes, entrada para o Showcase(festa)
  • Ingresso Showcase - Entrada para o Showcase(festa)


Eu comprei o VIP, pois nunca fui numa festa pra dançar e tudo mais, então eu queria um lugar com menos gente, para ser mais confortavel. E a ideia de poder tirar umas fotinhas a mais com os meninos me atraiu xD

Pessoa no seu minuto de fama
O evento começou com uns 30 minutos de atraso (não estava contando, mas sei q passou do horário) que era previsto ter inicio as 14h00 a fila estava relativamente grande e tinha umas pessoas da Coréia filmando e entrevistando gente da fila! Como estava com amigas, o tempo passou rápido e logo estávamos entrando no local.

Lá dentro os meninos estavam sentados numa mesa autografando um poster para todo mundo que comprou o ingresso de fanmeet (acredito que todo mundo comprou pelo menos esse nível de ingresso!), achei fofo que eles perguntam seu nome e coloca nas assinaturas! Aliais, eles tinham que parar pra tirar fotos o tempo todo, todas as meninas estavam morrendo pra ter uma foto deles, é lógico que eu aproveitei também! Aproveitem algumas fotinhas ai em baixo~






O interior do local é idêntico a uma boate/balada, ponto. Bem escuro, com aquelas luzes coloridas e de vez em quando piscantes. Como o esperado, 98% das músicas eram de k-pop, apesar de eu ter ouvido "If I had you" do Adam Lambert, o que me deixou mais a vontade! O som estava bem alto e logo grupinhos de formaram com pessoas dançando free style ou com as danças ensaiadas das próprias músicas.




Os coreanos também estavam gravando lá dentro, então sempre que tinha alguém se destacando eles corriam para filmar e um espaço era naturalmente aberto para que esses melhores dançarinos se destacassem, o que achei impressionante; ninguém tentava roubar a cena dessas pessoas e o pessoal continuava a dançar na borda da roda em free style, aproveitando o momento.E tinha um fotografo também indo de um lado pro outro e de vez em quando subindo no camarote, mas as melhores fotos com certeza foram tiradas lá em baixo, o pessoal tava bem animado!

Umas 20h00 os meninos subiram no camarote e, assim, estava muito lotado! Foi ai que percebi que as pessoas compraram o camarote mas ficaram lá em baixo, só subindo quando os meninos subiram; uma boa estratégia, porque dançar na pista era bem mais divertido que no camarote hahahahaha


Foi dificil tirar fotos com todos porque era muita gente em volta de todos, mas a popularidade de cada um ficou bem obvia quando eles chegaram. O mais fácil de tirar foto foi o Diego, o que fez com que ele fosse o primeiro que eu tirei foto já que enquanto os meninos iam pra direita ele ficou pra trás; o mais popular era o Iago, com certeza, tava dificil chegar nele! Os outros meninos estava dificil de forma igual, apesar de que o Shi também não tava nada fácil, foi dificil vencer a multidão e chegar nele.


Consegui tirar duas fotos com o Ricky, assim como com o Iago e  o Shi; aliais, fotos que só com cantores de inicio de carreira (e braileiros) eu conseguiria tirar hahahahahaha Abaixo algumas fotos minhas.



Porque fanservice pras meninas não tem limites! HSAUHASUAHUS

Depois eles subiram pro camarote de funcionários e deles, e ficaram por lá até eles se apresentarem no final! Primeiro cada um respondeu a duas perguntas por fãs que eles escolhiam entre o pessoal que estava lá na pista, o que dava a oportunidade a essas pessoas de irem lá e abraçarem o menino que as chamasse. Depois eles apresentaram duas danças: Dynamite e We are the Champs! A segunda foi a minha felicidade, porque eu sempre fiquei imaginando como seria a dança e ficou bem legal \o/

Aqui tem as fotos deles no camarote especial e algumas deles lá em baixo (porque pouquíssimas ficaram boas naquela escuridão), além de links de video no youtube das danças!



 



 



Espero que tenham gostado do post excessivamente grande! Me pergunto quem realmente leu tudo xD
Eu disse que ainda traria mais noticias deles hahahahahahaha

Cláudia